segunda-feira, 29 de novembro de 2010

106ª Festa de Nossa Senhora da Conceição



Com informações do site: http://www.morrodaconceicao.com.br/

DOM FERNANDO SABURIDO FALA DA FESTA DO MORRO 2010.

video

Clique aqui para conferir a programação

terça-feira, 23 de novembro de 2010

FRENTE EM DEFESA DO PISO NACIONAL ESTARÁ EM PERNAMBUCO

A Comissão de Educação da Assembleia Legislativa realiza nesta quinta-feira (25/11), às 9h, uma audiência pública com a presença da coordenadora da Frente Parlamentar Nacional em Defesa do Piso Salarial dos Professores, deputada federal Fátima Bezerra (PT-RN). A reunião tratará de pontos polêmicos como a Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADIN) contra o piso, a política de reajuste dos salários e a relação entre o Fundeb e a Lei de Responsabilidade Fiscal.

Também será apresentado um levantamento que está sendo feito pela Comissão de Educação com os municípios do Estado de Pernambuco que cumprem a lei do piso do magistério. A presidente do colegiado, deputada estadual Teresa Leitão (PT) também é coordenadora da Frente Estadual em Defesa do Piso.

Na última audiência pública realizada pela frente estadual, diversos órgãos públicos e entidades civis comprometeram-se em monitorar a implantação do piso do magistério em Pernambuco, dentre eles, o Tribunal de Contas do Estado (TCE), o Ministério Público de Pernambuco (MPPE) e a Associação Municipalista de Pernambuco (Amupe).

Jovens morrem afogadas ao cair em buraco em Pernambuco


Duas jovens morrem afogadas após cair em cratera em Pernambuco (Foto: Priscilla Buhr/JC Imagem/AE

Cratera foi formada após rompimento de tubulação de água.
Quando bombeiros chegaram ao local, elas já haviam morrido.


Do G1, em São Paulo

Duas jovens morreram afogadas após cair em um buraco provocado pelo rompimento de uma tubulação de água, nesta terça-feira (23), em Camaragibe (PE).

As estudantes, de 17 e 20 anos, voltavam de um treino do time de futebol feminino de uma ONG quando ocorreu o acidente. Segundo os bombeiros, testemunhas contaram que uma garota caiu primeiro e a outra escorregou ao tentar ajudar a amiga. Quando a equipe chegou ao local, elas já estavam mortas.

Menina morre dentro de máquina de lavar e corpo segue para Pernambuco

Do JC Online

A menina Natasha Sentina Santos, 10, morreu dentro de casa, em São Paulo, na tarde desta terça-feira (23) vítima de afogamento em uma máquina de lavar. A polícia, chamada pelo padrasto da criança, encontrou a criança com a cabeça e tronco dentro da lavadora. O corpo segue para Pernambuco, onde mora a família da mãe.

O caso ocorreu no bairro de Vila Silvia, Zona Leste de São Paulo. Os policiais ainda tentaram reanimar a menina, mas ela chegou sem vida ao Hospital Municipal Doutor Alípio Correa Netto.

Segundo o boletim de ocorrência registrado no 24º DP, de Ponte Rasa, o padrasto afirmou que no momento da tragédia estava dormindo no sofá aguardando a hora de levar a enteada para escola. Ao suspeitar do silêncio, teria então procurado pela casa e encontrado a vítima dentro da máquina de lavar.

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Agência do Trabalho oferece 630 vagas para Construção Civil

A Agência do Trabalho oferece 630 oportunidades de trabalho na área da Construção Civil. Segundo a Secretaria Especial de Juventude e Emprego, este é o maior número de ofertas de emprego registradas no setor, durante todo o ano, pelo Sistema Nacional de Emprego de Pernambuco (SINE-PE). Todas as vagas disponíveis são para trabalhar no Complexo de Suape.

Entre os cargos estão: armador, carpinteiro, encanador industrial, eletricista, serralheiro, topógrafo, entre outras atividades. Há oportunidades para Ensino Médio completo e incompleto, Ensino Fundamental ou alfabetizado. Porém, em todas as atividades, é exigido que o trabalhador tenha, no mínimo, seis meses de experiência, comprovada na Carteira de Trabalho, na função que deseja exercer.

Para receber a grande quantidade de interessados, a Agência do Trabalho montou um esquema especial de atendimento. Guichês funcionarão exclusivamente para receber os trabalhadores que procurarem as vagas de Suape.

Os trabalhadores interessados podem se candidatar ao emprego, independente do local onde reside. As 28 unidades de atendimento da Agência do Trabalho, localizadas em todas as Regiões do Estado, estarão prontas para encaminhar o trabalhador que tiver dentro do perfil exigido. A empresa irá disponibilizar alojamento para empregados contratados. É preciso levar o RG e a Carteira de Trabalho. O horário de funcionamento é das 7h30 às 17h.



Com informações da assessoria

Pernambuco está entre os estados que correm risco de enfrentar epidemia de dengue

O ministro da Saúde, José Gomes Temporão reuniu-se com o vice-governador João Lyra Neto, na manhã desta sexta-feira. O encontro foi promovido para discutir ações de controle da dengue, quando foi lançada a campanha nacional “Se Você Agir, Problemas Evita - Cuide da sua casa. Fale com seus vizinhos. Converse com a prefeitura. O Brasil conta com você”. Isso porque, segundo um levantamento do Ministério, dez estados correm o risco de enfrentar uma epidemia no próximo verão e Pernambuco está entre eles.

No estado são cinco municípios onde há risco de surto, são eles: Afogados da Ingazeira, Bezerros, Camaragibe, Floresta e Serra Talhada. Além destes, mais 18 estão em situação de alerta. Segundo o ministro, em Pernambuco há quatro vírus em circulação, com o agravante da presença do vírus tipo 4 ao qual toda a população corre o risco de ser contaminada, por nunca ter chegado ao estado, não havendo assim imunização.


Recife teve 9.457 casos de dengue confirmados, destes 88 foram do tipo hemorrágica e quatro mortes confirmadas. Havendo um registro de aumento de 1 mil % em comparação ao ano passado. Isso porque, segundo o ministro, 2009 foi um ano atípico. Já 2010 teve altas temperaturas, muita chuva, retorno do vírus tipo 2 que há 10 anos não circulava.


Diante deste quadro, Temporão enfatizou a participação da população neste combate ao mosquito da dengue. Além disso, a Secretaria de Saúde do Estado (SES) antecipou a campanha que seria lançada no início do próximo ano. Para esse combate, o Governo Federal investiu 1 bilhão para vigilância e educação.

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Estudantes vão às ruas para pedir melhoria na educação do Estado

Com informações de Júlia Véras
De Grande Recife

Com o rosto pintado e nariz de palhaço, estudantes de escolas públicas e privadas da Região Metropolitana do Recife (RMR) saíram em passeata pelas ruas da cidade, na tarde desta segunda-feira (15).

Com frases de reivindicação e faixas que diziam “Quem são os palhaços agora?” e “Educação e Respeito”, ao todo, cerca de 300 alunos engrossaram o coro que pede uma maior participação das estâncias governamentais e mais atenção as questões da educação, como a melhoria das escolas e professores mais preparados.

Os alunos se concentraram às 13h30 no cruzamento da Conde da Boa Vista com Rua Dom Bosco e seguiram pelas ruas do Recife em direção a Praça da Republica, onde se encerra o ato.


Apesar de o evento vir num período em que a polêmica do Exame Nacinal do Ensino Médio (Enem) toma conta do País, eles fazem questão de deixar claro que a movimentação de hoje não tem relação direta com o Enem e que a ideia é que se repita todos os anos.

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Estudante nega ter recebido tema de redação antes do Enem

O estudante Eduardo Ferreira Affonso Júnior, de 21 anos, não esconde o nervosismo. Chora muito, gesticula rapidamente, diz não ter conseguido dormir desde segunda-feira. Apontado por professores e colegas como o responsável pelo vazamento do tema da redação do Enem em Petrolina (PE), onde estuda para os vestibulares de Medicina que pretende prestar, o jovem de Remanso, cidade no norte da Bahia, nega ter sido o pivô da revelação, que pode causar a suspensão do exame.

'Eu estava chegando ao local da prova (a Faculdade de Ciências Aplicadas e Sociais de Petrolina, Facape), por volta das 11h15, quando ouvi um grupinho conversando que o tema da redação tinha vazado em São Raimundo Nonato (PI) e que seria algo sobre trabalho e escravidão', conta o estudante.

'Tudo o que fiz foi ir a um professor perguntar sobre o tema, caso fosse verdade. Não tenho nada com isso. Tanto que, na hora de fazer a prova, vi que a informação era verdade, fiquei nervoso, mas desanimei. Pensei: 'porque vou fazer essa prova se ela vazou e depois vou ter de fazer de novo?'', afirma. 'No fim, demorei quase duas horas para fazer só a redação, que faria em menos de meia hora. Sempre escrevi bem. Sofri e continuo sofrendo com isso tudo. Queria fazer a prova de novo.'

O relato de Affonso Júnior contrasta com os de alguns dos professores do Colégio Geo, que frequenta, e alguns colegas e amigos na cidade. 'Ele contou a um de nossos professores que tinha recebido um telefonema de um amigo do Piauí (de São Raimundo Nonato) dizendo que o tema seria esse', conta a diretora da escola, Simone Cerqueira Ramos Campos. 'Acho que não é coincidência, não foi um tema tão debatido este ano nas aulas. Estamos desiludidos, porque preparamos os alunos com dedicação para, no fim, haver um problema desses. O sistema é muito frágil.'

O estudante Denis Rodrigues de Sá, de 21 anos, colega de cursinho de Affonso Júnior, afirma ter presenciado a conversa dele com os professores, antes do início da prova. 'Ele falou com muita convicção, como se soubesse mesmo o tema', lembra. 'Nem foi discreto, foi na frente de todo mundo. Tanto que, rapidinho, formou uma multidão ali.'

Segundo a estudante Nara Moura, de 19 anos, que se diz amiga de Eduardo, o telefonema entre uma pessoa - seria uma mulher - em São Raimundo Nonato e ele existiu. 'Não sei porque ele agora fala que não partiu dele', alega.

Na PF

A Polícia Federal começou, na manhã de hoje (quarta-feira), a ouvir testemunhas do possível vazamento da prova, em Juazeiro. Pela manhã, o delegado Alexandre Lucena ouviu o vice-diretor do colégio, Marcos Antonio Freire de Paula, conhecido como professor Marquinhos - o responsável pela denúncia do vazamento -, e o coordenador do curso pré-vestibular da instituição, Nivaldo Moreira.

O estudante apontado como pivô do caso, porém, ainda não foi ouvido. 'Eu queria ir logo à Polícia Federal para esclarecer essas coisas todas', diz Eduardo. 'Minha família e a família da minha namorada já estão me acusando de um monte de coisas. Minha namorada brigou comigo. Tudo por causa dessa confusão.'

Segundo Marquinhos, o delegado o instruiu a evitar tocar no assunto durante as investigações. 'A PF nos procurou depois de ver, pela imprensa, que poderia ter havido um vazamento das provas do Enem aqui', conta. 'Não tenho certeza de absolutamente nada, mas não acredito em coincidências.'

Durante o dia, estudantes protestaram contra a forma como o Enem foi realizado - com problemas no gabarito no primeiro dia de provas e possível vazamento no segundo -, em uma caminhada pelo centro de Petrolina. 'Queremos pressionar a Univasf (Universidade Federal do Vale do São Francisco), que usa apenas o Enem para selecionar seus alunos, a adotar outro modo de avaliação dos estudantes', diz a proprietária do Curso Pré-Vestibular Tema, Vera Lúcia Medeiros.

Após a caminhada, o grupo, de cerca de 60 estudantes e professores, foi recebido pelo prefeito de Petrolina, Júlio Lóssio (PMDB), que garantiu que vai marcar uma reunião com a reitoria da universidade para avaliar o tema.

domingo, 7 de novembro de 2010

MEC pode aplicar outro Enem para prejudicados por erro em prova

O Ministério da Educação (MEC) pode aplicar outro exame do Enem para candidatos prejudicados no sábado pelo erro de montagem no caderno de prova amarelo. Essa é uma das possibilidades contempladas na promessa do MEC de analisar 'caso a caso' queixas de estudantes, mas só será adotada em última hipótese. O Estadão.edu apurou que, pelo balanço oficial, cerca de 20 mil alunos receberam cadernos com problemas, mas a maioria conseguiu trocá-los. Dessa forma, a estimativa é de que o número de candidatos com direito à nova prova seja bem inferior, de aproximadamente 2 mil.

Como é de praxe em vestibulares, os fiscais têm um estoque de segurança para repor exames com problemas. No caso do Enem, essa margem era de 10%, do total de provas impressas. Havia ainda a possibilidade de recorrer aos cadernos dos alunos que deixaram de fazer o Enem no sábado (cerca de 27% do total de 4,6 milhões de inscritos).

Apesar de o MEC considerar que a maioria dos alunos que receberam o caderno com erro de montagem foi alertada pelos fiscais e pôde fazer a troca, o Estadão.edu identificou hoje na porta dos locais de exame pelo menos três vestibulandos (em Curitiba e Belo Horizonte) que disseram ter recebido um segundo caderno com problemas.

A confusão aconteceu porque, para evitar cola no local dos exames, o Enem tem quatro versões do caderno de prova: amarelo, azul, rosa e branco. As questões são as mesmas, o que varia é a ordem. Em milhares de casos, por um erro no encarte, folhas do caderno de prova amarelo estavam misturadas a folhas da prova branca. Com isso, estudantes se depararam com textos repetidos ou questões ausentes. Somando os dois fatores, vestibulandos como Henrique Reis, de Belo Horizonte, por exemplo, identificaram problemas em 31 das 90 questões do exame.

Estudantes que fizeram a prova no sábado enfrentaram outro tipo de problema, a inversão do cabeçalho do cartão-resposta entregue a todos os candidatos. Embora o número das 90 questões no caderno de prova e no cartão coincidissem, havia discrepância no cabeçalho do gabarito. As 45 questões de Ciências Humanas estavam sob a tarja Ciências da Natureza e vice-versa.

O Inep afirmou que avisou fiscais para orientar os alunos. Mas a imprensa divulgou vários casos de estudantes que não foram alertados sobre o erro ou então só receberam o aviso horas depois do início da prova. Muitos deles afirmaram que se confundiram ou não tiveram tempo de fazer a marcação correta. O MEC admitiu que vários estudantes podem ter sido prejudicados e prometeu abrir espaço no seu site para receber queixas de candidatos, que serão analisadas caso a caso.

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Justiça mantém proibição do uso de relógio e lápis na prova do Enem

Da Agência Brasil

Brasília - A Justiça Federal no Espírito Santo negou hoje (5) o pedido de liminar feito pelo Ministério Público do estado para que os candidatos do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) pudessem utilizar relógio, lápis, borracha e apontador no dia da prova.

Ontem (4), o procurador da República André Pimentel Filho havia pedido a anulação dos itens do edital que proibiam o uso desses objetos. De acordo com o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), as restrições foram impostas por razões de segurança.

A juíza Maria Cláudia Allemand ponderou em sua decisão que o interesse maior de garantir “a plena regularidade do certame deve prevalecer sobre os interesses dos participantes quanto à utilização dos citados objetos evitando-se a ocorrência de fraudes”.

O procurador havia argumentado que o uso do relógio é determinante para o desempenho do candidato, já que ele precisa controlar o tempo gasto para responder cada uma das 180 questões da prova. Sobre o uso de lápis, borracha e apontador, Filho considerou que não há “qualquer lógica” na proibição porque os itens “não representam de forma alguma sério risco de fraude”.

Para a juíza, no entanto, não há nenhuma irregularidade em proibir o uso do relógio, lápis, borracha e apontador no dia da prova, norma prevista no edital do Enem. O exames serão aplicados neste fim de semana, dias 6 e 7 de novembro, a 4,6 milhões de inscritos.

Defesa Civil recomenda desocupação de prédio em Paulista

Parte do reboco da viga que sustenta a caixa d’água do bloco 9 do conjunto habitacional Arthur Lundgren II caiu na última quinta-feira (4). Por conta do risco, a Defesa Civil e o Corpo de Bombeiros foram até o local para fazer uma vistoria. A Defesa Civil recomendou a desocupação dos apartamentos, mas a maioria das 32 famílias que habitam o espaço resistiu e apenas quatro saíram.

“Por volta das 21h30, escutamos um estrondo. Imediatamente o pessoal do terceiro andar entrou em desespero e o síndico foi verificar o que era”, contou o comerciante Miguel de Araújo.

Os moradores estão bastante assustados com a situação e esperam por nova vistoria da Defesa Civil ainda nesta sexta para reavaliar a situação.

Durante toda a manhã, a produção do NE 1°Edição tentou falar com a Defesa Civil de Paulista. Na Prefeitura, disseram que os funcionários estavam em reunião. Não há informação de quando será feita uma nova vistoria no conjunto habitacional.